Yas Werneck

Com uma bagagem de mais de 90 composições em apenas 25 anos de vida, Yas Werneck é a mina que vem sendo destaque na cena do Rap no Rio de Janeiro. Dona de um flow cadenciado, beats certeiros e letras autorais, Yas Werneck lançou seu primeiro EP, Hexagonal, no final do ano passado.

Hexagonal tem um trabalho gráfico primoroso em forma de origami, totalmente original e que mostra bem o lado matemático da Rapper, o EP possui seis faixas com referências que vão desde o Neo soul até um trap-funk potente que é o carro chefe do EP, a faixa Coméki, que já tem clipe com produção e direção das minas da Amarévê.

Assista abaixo:

O clipe possui mais de 25k de visualizações e Yas Werneck faz Rap. Não Rap feminino, Rap. Demarcar a presença das mulheres, em especial das mulheres negras, na cena do hip hop é extremamente importante, mas marcar as letras de Yas Werneck como Rap Feminino é (re)afirmar que o Rap feito por homens é Rap masculino, e na boa, se eu, enquanto mulher gosto e curto o Rap feito pelos caras, o caminho inverso tá aí, aberto pra quem se dispõe a conhecer e apreciar.

A maior abrangência das letras da Yas Werneck se dá por mulheres, a abertura dos homens para ouvir as mulheres que estão no cena ainda é muito pequena e isso é prova do quanto o meio hip hop ainda precisa ser muito mais equitário.

Yas Werneck tem uma fala que diz assim: “Eu sempre digo que nós, as minas, temos que fazer três vezes melhor. Não uma, porque o gênero falará mais alto e nem duas, porque dirão que foi sorte dando crédito a tudo, menos a nós mesmas”.

Fazer Rap tendo que ser 3x melhor pra ser notada por sua capacidade e talento é prova que ser mulher e rapper é ainda quebrar muitas barreiras e Yas Werneck está vindo com tudo, ou melhor, já veio, se permita escutá-la e faça parte da galera que tá mudando o jogo.

Imagem: Bandcamp

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *