Uma história de luta e liberdade em “Free Meek”

Hoje 09/08 a Amazon Prime disponibilizou o documentário FREE MEEK contando a história por trás dos acontecimentos que levaram a prisão do rapper e fundador da Dream Chasers Records Meek Mill.

Os fatos históricos por trás do acontecimento:

Em 2008 na Filadélfia estado da Pensilvânia Robert Rihmeek Williams A.K.A Meek MIll foi preso foi preso sob acusação de posse ilegal de arma de fogo após uma ronda da polícia que foi de encontro aos seus companheiros motociclistas. Nessa primeira ocasião além de ser preso, Meek Mill foi espancado. A foto desse acontecimento anos mais tarde se tornaria capa da mixtape DC4 e do próprio documentário disponibilizado pela Amazon.

Naquele período, Meek foi sentenciado em 11 meses de prisão em regime fechado só retornando em 2009 após um acordo de liberdade condicional de cinco anos.

Fora da prisão Meek Mill alcançou grande renome no cenário do rap Norte Americano com a mixtape DC (Dream Chasers) , o disco Dreams and Nightmares e seu contrato com Rick Ross assinando o selo MMG (Maybach Music Group).


Como todo caso de glória sempre possui uma reviravolta, com Meek não foi diferente. Em 2012 o rapper foi abordado pela polícia enquanto dirigia sob alegação de uso de maconha por seus companheiros, sendo o Meek liberado no dia seguinte, o que resultou em uma perda de imagem em cerca de 40 mil dólares em sua parceria com a PUMA, gerando uma revolta por parte do rapper e sua equipe que processou o departamento de polícia da Filadélfia pela violação dos direitos civis, invasão da privacidade e prisão falsa.

A partir daí o cenário começa a se estreitar para o chefe do selo DC e braço direito de Rick Ross, quando em 2012 ele foi impedido de viajar após não enviar um relatório sobre sua condicional devido a chegada de sua turnê, através de um comunicado que o rapper só poderia se manter na cidade da Filadélfia.


Em 2013 Meek volta aos tribunais sob alegação de violar a condicional mesmo com a equipe do rapper tendo fornecido ao departamento de polícia um itinerário e cronograma dos destinos. Nesse momento a justiça se mostrou totalmente displicente em relação às funções do rapper que também é empresário, cuidando naquele período de 7 artistas, um programa de rádio e inúmeras entrevistas agendadas. Esse caso ainda iria mais longe.

Em 2014 Meek foi declarado culpado pela violação da condicional conseguindo uma revogação da pena, logo após o rapper foi condenado a prisão domiciliar. 

 

Com o término da liberdade condicional Meek Mill mais uma vez seguiu em atividade trabalhando em suas mixtapes, clipes, álbuns, seu relacionamento com a rapper Nicki Minaj e família, tudo parecia caminhar em conformidade, pelo menos até o momento.

Em 2017 Meek Mill foi acusado injustamente de agredir um homem, onde o caso com vídeo registrado apresentou o rapper tentando não ser filmado por um segurança do aeroporto que insistiu em realizar as imagens enquanto Meek pediu que ele não o fizesse.

Ainda naquele ano, Meek foi condenado de dois a quatro anos de prisão pelo Juiz Brinkley, sendo considerado uma ameaça ao estado. Esse acontecimento ficou marcado em todo estado Norte Americano movimentando diversos artistas como Jay-z, o qual já possuía relações interessantes como a atual união da DC Records e a Roc Nation, Beyoncé com o verso:


“In the hood, hollerin’, “Free Meek”

Two deep, it’s just me and JAY

Just posted in them courtside seats.

Além de A$AP Ferg, Rick Ross, Pharell, Will Smith, entre outros artistas de renome.


No segundo semestre de 2018 Meek conseguiu sua liberdade após o peso das manifestações e da comunidade em seu apelo à conseguindo de forma definitiva,

Passado esse acontecimento, Meek Mill marcou sua volta com uma apresentação insana no Summer Jam Festival abrindo as portas para o documentário disponibilizado hoje.

 

O material tem entrevistas de Jay-Z, seus produtores, a equipe de Meek Mill e ativistas culturais afirmando o peso e a importância do rapper atualmente e afirmando que o sistema prisional Norte Americano precisa mudar. Se você é fã da cultura Hip Hop precisa assistir esse material.

 

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *