Lendo agora
Todo mundo ama o sol, Conheça: Tárcis.

Todo mundo ama o sol, Conheça: Tárcis.

Tárcis é originalmente produtor mas é um rapper potente, que constrói linhas doces em realidades amargas, fruto da sua principal escola de referência: o samba. 

Natural do Rio de Janeiro, da Baixada Fluminense, o artista carrega no peito e no semblante a ancestralidade, o que reflete em seus beats e suas construções harmônicas, compondo e produzindo com artistas que são destaque e revelação dos últimos anos, como Leall e VND. 

Tárcis tem alguns projetos em sua discografia, todos complexos, que necessitam de um tempo para florescer e de fato apresentar o brilho que merecem ter, sob o sol. 

Os projetos destaque do artista são: Maitê: Misticidades, Amores, Inspirações, Teorias e Expirações; Canções que fiz pra você; Cyberyoruba 10062; E seu mais novo projeto, a obra prima do artista: Todo Mundo Ama o Sol

Convidamos o artista para falar sobre o disco, suas inspirações, família e referências importantes e chegamos a uma síntese interessante: o amor do rapper e produtor pelas coisas simples da vida, aquilo que vem da terra, nossa base. 

Me fala da tua história com arte, como começou, primeiras produções e influências?

A arte sempre esteve presente na minha vida indiretamente na infância e adolescência, com 14 pra 15 anos eu comecei a experimentar batidas no FL Studio mas só tive coragem de por pra frente aos 18. 

Eu sempre tive muita influência do Samba e do R&B que no subúrbio a galera chama de Charme, minha primeira produção  foi Vingança dos Nerds com o falecido WC sendo de fato minha primeira vez rimando e fazendo o beat daí em diante nunca mais parei. 

Queria saber sobre sua relação familiar, curiosidades interessantes sobre a conexão entre sua família, a arte e o que você tenta passar a partir disso.

Minha família é a tradicional suburbana, com uma mãe solo com muita música desde sempre, cresci ouvindo muito samba, MPB, funk e charme, o rap só veio na adolescência, eu sou filho de músico embora eu não tive um contato muito grande com meu pai o pouco que eu estive perto dele eu pude absorver essa essência, mas tive outros músicos por perto no meu crescimento. 

Me fala um pouco mais sobre os projetos que você já participou e dos que você mais gostou de participar?

Eu até hoje participei de poucos projetos mas o que eu mais gostei foi o ESCULPIDO A MACHADO, (Leall) pela forma que se deu pois estávamos no auge da pandemia trancados em casa e produzir via internet eu nunca tinha vivenciado.

Veja também

Me fala um pouco sobre o processo de criação de Todo Mundo Ama o Sol?

O processo de formação do disco foi muito doido porque ele surgiu a partir da conversa sobre o conceito de um outro disco que eu ia fazer, e nessa de conversar com amigos eu acabei chegando no conceito final que foi o nome do disco.

Todo Mundo Ama o Sol é um dos projetos mais consistentes de 2021 e os destaques vão para a faixa que dá nome ao disco e Enquanto o Astro Rei não Volta.

Fotografia por: @ilovemyanalog

Ver comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.


© 2021 POTÊNCIA CULTURAL. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.