CULTURA

Rio de Janeiro: o estado que virou playground de genocidas

Por Lola Ferreira 11/08/2019

“Ser preto não é fraqueza, é força. Nós somos guerreiros, e é assim que tem que ser: vamos lutar pelos nossos.” A frase é de Alexandrina da Cunha Rodrigues, de 42 anos. Alexandrina é uma das milhares de mulheres negras e pobres vítimas “por tabela” da política genocida de segurança pública do Rio de Janeiro. […]