Posts

Futuros Possíveis

Tenho visto de forma cada vez mais recorrente com amigas e conhecidas e é também uma inquietação minha, uma “reclamação” por outras narrativas de histórias de/sobre as pessoas negras.

Seja no áudio visual, seja na literatura, no HQ, nas artes.

A gente entende e respeita todo o legado histórico – é por esse legado que continuamos e seguimos aqui – contudo, podemos e queremos nos ver retratadas de outra forma que não só a partir do sofrimento e da dor.

Acabei de ler um livro chamado The Underground Railroad – Os caminhos para a liberdade e não foi diferente de qualquer narrativa que já tenha lido sobre escravidão.

Cansa sabe? E numa dessas coisas que aparecem pra dar um pouco de esperança, me deparei com um vídeo do TED da incrível Wanuri Kahiu e AfroBubbleGum, uma arte africana, vibrante, iluminada e sem agenda política rígida.

Wanuri Kahiu

Os 3 princípios da AfroBubbleGum são:

1 – Essa obra tem 2 ou mais pessoas negras saudáveis?

2 – Essas pessoas possuem estabilidade financeira e não necessitam de salvação?

3 – Essas pessoas estão se divertindo e aproveitando a vida?

Arte pela arte. Arte nos mostrando que ser leve também é pra gente, que sorrir é legado nosso e que não podemos e não precisamos ser duros o tempo todo.

Por outros futuros possíveis e que só são possíveis se não abandonarmos o exercício de imaginação.
Afinal, só nos espelhamos e inspiramos pelo que nós vemos.

O que te motiva?

No dia 12 de novembro, aconteceu a comemoração do primeiro ano da AUR, e teve uma roda de conversa, com essa que vos escreve convidando Dj Tamy, Izabella Suzart e Laíse Neves, chamada TROCA.

TROCA = no sentido de falar e escutar, de passar alguma informação e absorver informações do outro, de compartilhar o que te amplia enquanto indivíduo, de perceber no outro aquilo que também está em você: as aflições, as angústias, os métodos e principalmente as inseguranças.

Sim, as inseguranças. Quem se sente a vontade de falar em público, de apresentar um projeto, de expor uma opinião, de se colocar sob o julgo do outro? Desconforto, timidez, negação e vontade de não ir, não fazer, não se expor. Você já se questionou de onde vem esse medo ou o que te faz ser refém daquilo que te paralisa?

Processos Criativos e Inspiracionais, esse foi o tema da TROCA.

MotivAção.
Quais são as suas inspirações para o exercício da sua criatividade? Quais processos te tira da procrastinação?
O que te causa start pra levantar e começar a fazer? Quais são as estratégias usadas por você para alcançar algum objetivo?

Não tem uma receita certa, não existe algo que responda a todas essas perguntas, o que existe são possibilidades de: o que funcionou para uma pessoa pode funcionar para outra com a adição de outros elementos e assim sucessivamente, de forma que cada um ache o seu caminho, sem que ele seja necessariamente o caminho já trilhado.

Falando assim, fica tudo no campo da subjetividade e do pouco palpável, porém essa introdução serviu para trazer como ilustração um TED inspirador e que me starta todas as vezes que me pego sem motivação:

TED Girl Trek

T. Morgan Dixon e Vanessa Garrison são as CEOs do projeto Girl Trek, um projeto que estimula as mulheres negras a caminhar e assim baixar os índices de doenças e mortalidade em decorrência dessas doenças, estimula as mulheres negras a mudarem o seu entorno comunitário, a começarem por elas mesmas.

O projeto Girl Trek trabalha sob 4 pilares:

1- Não espere
2- Quando aprender o que precisa, volte e pegue uma “irmã” que ficou para trás
3- Reúna seus aliados
4- Encontre alegria e siga

Essas foram e seguem sendo etapas motivacionais utilizadas por mim para qualquer projeto que precise sair do papel, mas que pode servir como motivação para qualquer pessoa.

Aliado a esses pilares, utilizo também o que chamo de motivação por espelho, que consiste basicamente em me cercar de pessoas inspiracionais, isso me baseando numa máxima do campo do desenvolvimento humano que afirma que: “Você é a média das cinco pessoas com quem passa mais tempo”.

Se cerque de pessoas inspiracionais, seja na vida real ou da vida virtual,
Pratique os 4 pilares,
Ache aquilo que você se destaca, aquilo que você faria mesmo sem benefício financeiro,
E lembre-se: se você não caiu até agora, nada te derruba.