O interminável fôlego de Marcelo D2

Ver um ídolo nos palcos é sempre bom. Vê-lo feliz, com um show novo, fazendo parceria com um dos maiores nomes da nova geração, é mais gratificante ainda. Marcelo D2 ainda tem fôlego de sobra pra se posicionar cada vez mais como um dos maiores artistas desse país.

 

A Namoral, produtora do D2, BK’, Planet Hemp e Sain, teve uma idéia simples e ousada. Juntar as duas estrelas de seu escritório e botar uma turnê conjunta na rua. Bk’ lançou recentemente o seu álbum “Gigantes” e estivemos na cobertura história do show de lançamento do álbum. D2 lançou no mesmo período o aclamado “Amar É Para os Fortes” e já tinha divulgado a novidade sobre a tour conjunta pra gente em primeira mão. Ficamos muito ansiosos para ver duas referencias do rap nacional juntando dois públicos e duas gerações distintas num mesmo show.

O primeiro show no Rio da tour entre D2 e Bk’ rolou no Km de Vantagens Hall, aquela famigerada casa de shows da barra que mudou de nome mil vezes. O show merecia um ambiente como a Fundição, na Lapa. Mas era estratégico pros dois irem para a Barra. Existe um público consumidor gigante pela zona oeste que, com a escassez de casas de shows atual da nossa cidade, não se deslocam com tanta facilidade para outros cantos da cidade. Se tá ruim pra quem mora por ali, imagina pra quem é da baixada.

 

 

Bk’ abriu o show com sua banda. Com muito mais confiança, Bk’ impulsionou sua performance em cima do palco e a banda tava mais redonda e mais segura de si. Isso fez uma grande diferença no que já tava muito bom no início do ano no circo e que ficou muito melhor meses depois. O foco nos ensaios, o posicionamento de Bk’ como músico e, principalmente, a consistência de shows deram confiança e colocaram na cabeça do rapper que a decisão arriscada de assumir uma banda nesse momento da carreira foi acertada.

O choque de choque de gerações foi um fato que não rolou. D2 se mantém tão atual que o seu público se renova com uma facilidade impressionante. Colado na grade havia um público muito jovem que consumiu e entendeu um dos álbuns mais artísticos e, ao mesmo tempo, mais difíceis de D2. O palco era todo decorado com tulipas vermelhas, na mesma estética da capa do álbum, e parecia que D2 estava flutuando entre as flores ao andar no palco. A banda teve a inclusão de 3 músicos do respeitado Afrojazz o que deixou o show ainda mais groovado. DJ Nuts sempre está preparado com os seus scratchs e Sain tem seus momentos de destaque fazendo as dobras do pai.

A primeira vez que Marcelo D2 pisou naquele palco foi em 1994, num show do Planet Hemp. Há 25 anos atrás. Hoje, aos 51 anos de idade, D2 se tornou um dos artistas mais respeitados do país, sendo referencia em mais de 3 gêneros musicais, tendo rodado o mundo várias vezes e sempre se reinventando. No final do show, D2 fez um bis da “Febre do Rato”, desceu na plateia e foi pro meio da roda. Com microfone, presença e fôlego. Acredito que meu filho, que ainda não nasceu, verá essa mesma cena quando ele for em algum show do D2.

Todas as fotos foram cedidas pelo nosso amigo Wilmore Oliveira

Agradecimento a Namoral Produções.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *