Get Out ou Corra!

Postado por 22/05/2017

Eu nunca usei esse termo, ou sequer concordo com ele, mas confesso que quando o filme acabou uma frase veio forte na minha cabeça: Não palmite. 🙂

Brincadeiras a parte, Get Out é um maravilhoso filme de terror, e olha que esse é um gênero que não desperta em mim a mínima curiosidade, visto que só consigo rir e rir muito nos filmes de terror, de tão bizarros que geralmente eles são.

“Eu não sou racista, tenho até amigos que são negros” ou “Eu não sou racista, meu namorado é negro”, quantas vezes essas frases aparecem como justificativas quando apontamos comportamentos racistas? Get Out é sobre isso, ou melhor, essas frases poderiam ter saído da boca da personagem Rose.

Dominação e Racismo. É sobre esses dois conceitos que o filme se desenrola, sem dar spoilers, Chris Washington, um fotógrafo negro, após 5 meses de namoro vai enfim conhecer a família da sua namorada branca, Rose e acaba se deparando com comportamentos que a princípio pareciam complacentes demais e ao longo do filme se mostram assustadores.

– Nas primeiras cenas toca Redbone de Childish Gambino, que é um alento para tudo que está por vir. –

Em Get Out, o diretor Jordan Peele consegue transformar o horror assustadoramente real do racismo em terror nas telas com cenas de hipnose, dominação, sadismo psicológico e controle dos corpos negros (eu vi um reflexo de Peles Negras, Máscaras Brancas de Fanon, aqui? Fica aqui o questionamento). Em entrevista ao site Deadline, o diretor afirma que o dvd sairá com um final alternativo, beeeem diferente do final que está nos cinemas. E nesse link (https://filmschoolrejects.com/get-out-commentary-jordan-pe…/) o diretor faz 40 comentários sobre o filme – Leia somente se você já tiver assistido pois contém muuuuitos spoilers.

Se você não viu o filme PARE AQUI.

O que é o final que me deixou com o coração na boca?

Existe uma diferença absurda na sua percepção de quando o carro chega, se você é negro ou se você é branco. É possível ter sensações totalmente distintas quando o carro se aproxima. Um pavor que só quem vive sem segurança e com medo de quem deveria dar proteção, consegue alcançar.

Imagem: Her campus

Assertividade: CHS Lança o Seu Novo Álbum “Tudo Pode Acontecer”

Por Matheus Iéti 04/05/2020

“Tanto faz o que ‘cê faz da vida, objetivo vai ser sempre um, dar conforto pra minha família meu patrão, não acredito em nenhum…” Assim CHS abre seu novo projeto oficial –  Tudo pode acontecer – (2020) Pirâmide Perdida. Contextualizando: Se você não está familiarizado com o rapper, posso te apresentar algumas faixas importantes ao longo de sua […]

Produção e Fotografia – Conheça: Sancho

Por Matheus Iéti 09/07/2020

Nas últimas semanas troquei idéia com quatro fotógrafos e descobri diferentes perspectivas de produção de conteúdo, olhar e, principalmente, de estilo na fotografia de rua.  Quanto mais o tempo passa mais percebemos a imensidão da criatividade e como ela é colocada em prática nos diferentes cantos da cidade, não sendo diferente com o Sancho que […]

Conheça o corre: I love my analog.

Por Matheus Iéti 26/06/2020

Ao longo das últimas semanas seguimos com a série: “Conheça o Corre” dentro dos artigos de costume do Radar. Este projeto visa entender o processo de criação de articuladores e articuladoras culturais que trabalham em mais de uma frente na produção artística  e de conteúdo. Posto isto, nos últimos dias bati um papo muito interessante […]

Conheça o corre: @_mulambo

Por Matheus Iéti 16/06/2020

Ao longo de 2019, nos conectamos com fotógrafas e fotógrafos no Rio de Janeiro. A experiência passada ao criar laços com esses e todos os outros articuladores culturais presentes no Radar vem sendo única e incrível. O cenário que estamos vivendo nos fez recorrer a outras formas de conexão dentro do processo de criação e […]