Chi-Raq – Filme

Postado por 17/04/2017

Em novembro de 2015 soube que Spike Lee tava fazendo um novo filme e que a estréia nos EUA seria em dezembro do mesmo ano. SPIKE LEE. Só de ler esse nome já fui correndo atrás de mais informações e a descrição do filme,que arranjei, era assim: “ Após perder mais uma criança vítima de bala perdida, um grupo de mulheres se organiza no combate à violência em Chicago. Baseado na peça Lysistrata de Aristophanes”.

O cartaz de divulgação tinha a maravilhosa da Teyonah Parris, com o punho pro alto com as cores do Panafricanismo atrás, só isso já me deixou com mais vontade de assistir ainda.

Corta pra abril de 2017. Assisti ele.

Só o Spike Lee pra me fazer assistir a um musical…que dependendo da crítica ora é tratado como um drama, ora como comédia. Mas vamos ao filme.

Chi-Raq começa jogando na nossa cara uma série de estatística sobre a violência armada, fazendo uma comparação entre a quantidade de mortes que acontecem na cidade de Chicago, no Afeganistão e no Iraque. Chicago é dividida entre duas gangues, a roxa Spartans e seus rivais, os Trojans, que usam laranja e quando mais uma criança é assassinada no meio dessa guerra, as mulheres da cidade decidem fazer uma greve de sexo para forçar os caras a pararem de se matar.

O que? Você deve estar se perguntando – Pois é. É real, a greve de sexo do filme é baseada em greves que mulheres de Togo fizeram para exigir a renúncia de um presidente (http://migre.me/wmqmd) e que as mulheres do Sudão do Sul fizeram para acabar com uma guerra (http://migre.me/wmqmT).

O filme muitas vezes paira entre a comédia pastelão de gosto duvidoso e um drama difícil de não se emocionar, pois fala de assassinatos que já vimos noticiados muitas e muitas vezes como Michael Brown, Eric Garner, Sandra Bland – entre tantos outros.

Mas é um musical rimado. Isso é bom? Há quem ache ótimo, eu que não suporto musicais, vi até o fim porque é Spike Lee, elenco predominantemente negro e quando tem a mão dele, eu não desprezo, mesmo saindo da minha zona de conforto.

Diga ai, se você assistiu Chi-Raq, o que achou?

Imagem: Vimeo

Assertividade: CHS Lança o Seu Novo Álbum “Tudo Pode Acontecer”

Por Matheus Iéti 04/05/2020

“Tanto faz o que ‘cê faz da vida, objetivo vai ser sempre um, dar conforto pra minha família meu patrão, não acredito em nenhum…” Assim CHS abre seu novo projeto oficial –  Tudo pode acontecer – (2020) Pirâmide Perdida. Contextualizando: Se você não está familiarizado com o rapper, posso te apresentar algumas faixas importantes ao longo de sua […]

Produção e Fotografia – Conheça: Sancho

Por Matheus Iéti 09/07/2020

Nas últimas semanas troquei idéia com quatro fotógrafos e descobri diferentes perspectivas de produção de conteúdo, olhar e, principalmente, de estilo na fotografia de rua.  Quanto mais o tempo passa mais percebemos a imensidão da criatividade e como ela é colocada em prática nos diferentes cantos da cidade, não sendo diferente com o Sancho que […]

Conheça o corre: I love my analog.

Por Matheus Iéti 26/06/2020

Ao longo das últimas semanas seguimos com a série: “Conheça o Corre” dentro dos artigos de costume do Radar. Este projeto visa entender o processo de criação de articuladores e articuladoras culturais que trabalham em mais de uma frente na produção artística  e de conteúdo. Posto isto, nos últimos dias bati um papo muito interessante […]

Conheça o corre: @_mulambo

Por Matheus Iéti 16/06/2020

Ao longo de 2019, nos conectamos com fotógrafas e fotógrafos no Rio de Janeiro. A experiência passada ao criar laços com esses e todos os outros articuladores culturais presentes no Radar vem sendo única e incrível. O cenário que estamos vivendo nos fez recorrer a outras formas de conexão dentro do processo de criação e […]