A Casa do Meio e o progresso artístico da Zona Oeste

Postado por 15/08/2019

Um movimento é feito de pessoas. E o resultado disso sempre vem de um centro, um lugar de apoio, de troca e de impulsionamento de tudo e todos que estão ao redor de um objetivo. Um porto seguro. A Casa do Meio representa esse relevante legado na Zona Oeste.

Lucas Sá

Lucas Sá

 

Lucas Sá (@louquera)

De um espaço vago na sua casa, com ajudas e uma grana guardada do seu criador e comandante Rennan Guerra,  surge a Casa do Meio. Além de ser um estúdio de gravação,  a casa se posiciona como um espaço de criação e um verdadeiro polo criativo extremamente importante para os músicos da cena underground da Zona Oeste. Ali rolam filmagens, reuniões e trocas que ajudam e impulsionam os artistas e projetos que são curados dentro da casa. A facilidade que Rennan tem de dialogar com diferentes tipos de clientes – muito por sua vivencia, desde muito novo, sendo roadie de várias bandas de rock que faziam um barulho há 10 anos atrás – e a qualidade na entrega final do produto, que é a música, o faz ter uma percepção diferente e visionária sobre tudo de novo e interessante que possa chamar a sua atenção e resulta em um respeito e admiração dos seus amigos e parceiros.

 

Quando falamos sobre a percepção de Rennan sobre o que está a sua volta, focamos num dos programas de áudio visual que mais prestamos atenção por aqui. O Brasil Grime Show – criado e comandado por Yvie Oliveira, Antonio Constantino, Lucas Sá, Dini, Diego Padilha e pelo próprio Rennan – se posiciona como um dos mais interessantes cases de sucesso no YouTube, muito por conta da identidade empregada no programa e na pesquisa, descoberta e impulsionamento de inúmeros novos artistas da cena urbana carioca. Todo o áudio do programa é gravado, editado e mixado por Rennan e as imagens são captadas dentro do estúdio, gerando interação com o ambiente e fazendo com que todos os artistas que brotam no programa se sintam a vontade como se a gravação fosse na sua própria casa.

 

“O Grime, que era tão desconhecido, acabou salvando a minha vida, pois me deu um ar de empolgação num momento em que eu de fato precisava. Eu to ligado que dá pra melhorar o trabalho, mas tento ser o mais honesto possível e ainda sim a galera compra o barulho do que estamos fazendo aqui no estúdio.”

 

Já passaram por ali Akira Presidente, CHS, Scarlett Wolf, Juju Rude, SD, Leall, Fleezus, PhKbrum entre outros. Kbrum e SD gravaram seus EPs no estúdio e toda a cultura Grime, que era bem pequena no Rio de Janeiro pré Brasil Grime Show, tomou uma outra proporção pós a execução do programa no estúdio. Sem demagogia nenhuma, Rennan acredita que o grime salvou a sua vida por ter lhe dado um ar de empolgação e entusiasmo no momento exato em que ele precisava de um fôlego. Os números no YouTube e os feedbacks positivos do público dão impulso e visibilidade ao trabalho do estúdio e em todos os que estão a sua volta.

Além do Brasil Grime Show e da gravação de vários artistas da cena do grime, o estúdio também é curador do programa “Tem Como Apresenta”. O programa – criado por Mariozin, Lucas Sá, Diego Padilha e por Rennan – tem por objetivo dar palco e visibilidade aos DJs que são crias da Zona Oeste. Ser um “defensor da musicalidade” da Zona Oeste não é um objetivo da Casa do Meio mas o fato é: a escassez de cultura e ações áudio visuais na área é tanta que é inevitável entender o crescimento do estúdio como um ato quase político.

O “Tem Como” é como se fosse um videocast com os DJs fazendo os seus sets autorais, com total liberdade para mostrar os seus trabalhos. Tago, DJ Bala e o próprio Mariuzin já fizeram parte do programa que ainda tem muito mostrar.

O movimento que é feito por pessoas e precisa de um porto seguro, necessita de duas coisas pra seguir em frente e com qualidade. Trabalho e progresso. Executar bem, pensar á frente, manter relações verdadeiras e progredir. Assim que se cria um belo legado. Rennan Guerra e a Casa do Meio vem cumprindo bem esse papel.

O Peso que Djonga Carrega

Por Matheus Iéti 15/04/2021

O disco “Nu”, de Djonga, já está na pista há um mês. É o quinto da sua carreira e brotou pra continuar o legado tradicional que o rapper mineiro vem trilhando dentro da arte. Pedro Bonn foi direto na análise que disponibilizamos no nosso Instagram. Com certeza os principais acertos dentro do projeto são suas […]

Guia completo sobre POSS

Por Pedro Bonn 08/02/2021

Um conteúdo completo sobre a maior movimentação artística brasileira dos últimos anos (TESTE) TESTE

Assertividade: CHS Lança o Seu Novo Álbum “Tudo Pode Acontecer”

Por Matheus Iéti 04/05/2020

“Tanto faz o que ‘cê faz da vida, objetivo vai ser sempre um, dar conforto pra minha família meu patrão, não acredito em nenhum…” Assim CHS abre seu novo projeto oficial –  Tudo pode acontecer – (2020) Pirâmide Perdida. Contextualizando: Se você não está familiarizado com o rapper, posso te apresentar algumas faixas importantes ao longo de sua […]

A indústria da música precisa do The Weeknd

Por Matheus Iéti 17/04/2021

Não é como se Abel Makkonen Tesfaye A.K.A The Weeknd fosse apenas um cantor pop que a cada lançamento arrasta multidões. A linguagem em todos os projetos, desde Echoes of Silence e Thrusday (2011) ou até mesmo Trilogy (2012) são marcados por uma linguagem suja e totalmente desproporcional ao que é vendido pela indústria dos […]