Lendo agora
O POSS é pautado em ousadia e coragem para realizarmos os “nossos” sonhos.

O POSS é pautado em ousadia e coragem para realizarmos os “nossos” sonhos.

Theo Zagrae é Diretor Musical do POSS.

O POSS 2 está entre nós. O projeto contou com mais de 50 profissionais pretos e não brancos em seu processo de produção e marca um grande passo para os artistas e a AUR como plataforma de experiências negras.

Encabeçando a direção musical do Proteja Os Seus Sonhos 2, convidamos Theo Zagrae para falar sobre os bastidores e o processo de produção do disco.

Quem é Theo Zagrae? 

Eu sou um jovem velho de 30 anos, nasci e fui criado 100% em ambiente musical.

Meus pais são músicos, vivem disso e minha família por parte de mãe é inteira feita por cantores e instrumentistas. Então meu primeiro contato com a música veio do berço e naturalmente veio a profissão “músico”, que é um ofício muito difícil.

Qual foi o processo de inspiração e referências utilizados para o POSS 2?

Pro POSS 2, a minha vontade era impactar diferente do som abordado no POSS 1. 

Assim que acabou o POSS 1 eu já comecei a pensar sobre, pesquisar, e, logo veio a certeza que teria que ser mais brasileiro no todo da mensagem.  logo depois a vontade de fazer tudo ao vivo, plano sequência, como as gravações antigas eram feitas.

Eu coloquei muita pilha pro projeto ser nesse formato esse ano. Antes eu sentia que a performance ao vivo de verdade é um ponto “fraco” na nossa cena, tanto pela pandemia, quanto pela baixa demanda de shows da rapaziada que tá começando, e o quanto eu puder contribuir para esse crescimento é melhor.

Veja também

O material do primeiro Volume é incrível, vejo uma densidade maior no volume 2 mas com uma riqueza instrumental mais aberta para novos públicos, isso foi proposital? 

Foi. O POSS é pautado em ousadia e coragem para realizarmos os “nossos” sonhos, então pra essa mensagem ser mais abrangente, a gente tinha que ir por um caminho mais “popular”, não só no nicho do r&b, rap, pop. E foi mais fácil esse resultado por conta da mesma banda participar de todas as músicas, ai a unidade sonora fica mais sólida. 

Pra fechar, diz pra mim: como foi trabalhar no projeto, desde o início e como você enxerga ele dentro da sua carreira enquanto artista?


O POSS  é o projeto da minha vida, até agora. Eu ajudei a conceber cada canto desse projeto, por tanto é o lugar que eu mais me sinto à vontade pra me expressar artisticamente, e ver que o time que trabalha comigo gosta do projeto, do som, das idéias, é a minha maior alegria e alvo. 



Ver comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.


© 2021 POTÊNCIA CULTURAL. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.