Lendo agora
Bryan AVS desconstrói perspectivas em sua nova mixtape “Peças”.

Bryan AVS desconstrói perspectivas em sua nova mixtape “Peças”.

Bryan AVS é DJ e produtor da Zona Oeste no Rio de Janeiro. Sua primeira mixtape solo, O Apartamento (2019) deu continuidade a uma crescente de artistas que são produtores e vem arquitetando seus próprios projetos, convidando artistas e ainda sim trazendo sua identidade em cada instrumental.

Recentemente o artista disponibilizou sua mais nova mixtape Peças e o convidamos pra bater um papo falando sobre o projeto.

1 – Fala comigo irmão, como foi o engajamento do peças mesmo com a pandemia e o corre de ser independente?

Então meu mano, o desenvolvimento do Peças em plena pandemia foi uma das tarefas musicais mais difíceis que já enfrentei. A organização mudava constantemente no decorrer dos dias que eram cada vez mais incertos. Fico tranquilo vendo hoje que deu certo dessa forma já que apesar da correria, fiz isso foi visando um conforto pra todos que trabalhassem no Peças e agradeço muito ao Ricardo Cruz (Diretor de Arte) e o iéti (Produção Artística).

Sem eles, o Peças não tinha tomado vida e a minha projeção como artista independente também teve que mudar muito, além de dirigir a Mixtape, eu também estava tentando sobreviver, (como grande parte da população) e tendo que lidar com todas as propostas perdidas, principalmente no âmbito de DJ.


2 – Fala pra mim sobre a montagem da Tracklist, vemos logo de cara uma referência ao Jorge Ben, queria saber como foi esse processo.


A Tracklist e o projeto como um todo precisam se comunicar com quem está tendo aquela experiência, logo, eu sempre tento criar um começo, meio e fim para elas. Eu já sabia que ia começar com “Porque é Proibido Pisar na Grama” por alguns motivos: o primeiro é pelo fato de ser minha primeira faixa solo em um projeto, o segundo é que o Jorge Ben Jor foi o primeiro artista a desbloquear a MPB pra mim (ela sempre soou muito elitista quando eu mais novo) e o terceiro e último é que a faixa surgiu como um indagamento comum mas tem uma base sólida de questionamento, independente de como você interprete. A visão era começar criando um questionamento para que você se permita ouvir o que eu tenho a dizer.

3 – Rolê em Milão tem um apelo forte né? Me fala sobre o convite para a faixa, sobre a produção e a linha temática que você quis passar.

Rolê em Milão terá sempre um lugar especial no meu coração porque eu queria muito trabalhar com algum artista LGBTQIA+ à um tempo e minha amiga trans de longa data, a umAna, sempre teve vontade de cantar e eu adorei a ideia. Fomos pro estúdio algumas vezes e fizemos o som. A primeira versão não me agradou tanto e fizemos essa, a final. Na produção eu queria fazer umas melodias que a gente se pega cantarolando na nossa mente, sabe? E a faixa fala sobre a liberdade de ser e aceitar para si mesmo que merecemos muito mais do que migalhas, inclusive um rolê em Milão com tua conta bancária com mais de um milhão.

Veja também

4 – Furacão é uma das faixas mais interessantes do projeto, quem gosta de funk raiz deve ter se amarrado, me conta como foi a escolha do nome e a intenção de cada elemento usado nessa faixa?

Pra Furacão eu queria criar uma cronologia do Funk Carioca de todas as épocas, só que iria ficar muito complexa e extensa, então decidi adicionar alguns outros elementos como o Pagodão Baiano, uns 808, umas viradas bem características de Funk Carioca e etc. O nome da faixa e o sentimento em si foi uma homenagem do impacto que a Furacão 2000 teve como um todo na minha vida, além de querer criar um turbilhão de nostalgia, euforia e alegria para quem finaliza a mixtape Peças.

5 – Pra fechar, o que esperar do AVS pós peças? Pode adiantar alguns planos pra gente?

Então, tirando a “Porque é Proibido Pisar na Grama?”, todas as outras faixas tiveram uma versão anterior que não saiu, fora os 12 beats para a Era Peças e acabei utilizando somente 6, então até final do ano pretendo soltar singles com novas perspectivas e outras roupagens.


Peças está disponível em todas as plataformas de streaming e você pode ouvir no spotify

Ver comentários (0)

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.


© 2021 POTÊNCIA CULTURAL. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.